Previous
Next

O QUE FAZER? A PAUTA DE LUTA DOS PROFESSORES EM 2019

A ADUENF esteve representada no 38º Congresso do ANDES em Belém do Pará com dois delegados eleitos em Assembléia. É importante ressaltar que o tema do Congresso “Por Democracia, Educação, Ciência, Tecnologia e Serviços Públicos: em defesa do trabalho e da carreira docente, pela revogação da EC/95”, reflete nosso trabalho aqui. Além da conjuntura política e de um início de governo Bolsonaro absolutamente desastroso para educação, nossa luta em 2019 a nível estadual será pela manutenção de direitos. Um dos principais consensos quanto a este ponto é a luta contra a Reforma da Previdência. Todas as formas de mobilização, incluindo a preparação de uma greve geral estão em discussão em nosso Congresso. Igualmente importante a luta pela autonomia universitária, ameaçada e atacada pelo atual governo.

No dia 31 de janeiro o Andes participou junto a entidades locais do Pará, de uma manifestação pela demarcação das terras indígenas, caminhando e realizando um belo ato político em frente a Federação de Agricultura e Pecuária do Pará (FAEPA). Manifestantes, e Populações indígenas caminharam juntos para exigir o fim de genocídio indígena.

Por último, será fundamental o apoio ao 8 de março e todas as formas de mobilização do Dia Internacional da Mulher em 2019. Sabemos que sobre as mulheres recai um peso ainda maior se aprovado o texto da reforma previdenciária como pretende o atual governo.

A pauta de lutas para 2019 exigirá de nossos associados e associadas a mobilização não só por manutenção de direitos mas a defesa da ciência diante dos ataques sofridos.

Somos um dos principais alvos de um governo que nega diariamente a necessidade de qualificação, investimento em educação e até mesmo dos paradigmas científicos consagrados globalmente. Este discurso obscurantista facilita a destruição da Universidade Pública, rebaixa a educação nos níveis fundamental e médio e propaga junto a opinião pública uma ideologia anti cientificista.

Cito aqui o texto norteador da centralidade da luta e das ações do Sindicato em 2019

“Atuar buscando maior mobilização da base, pela construção de uma ampla unidade para combater a contrarreforma da previdência, as privatizações e revogar a EC 95. Defender a livre expressão, organização e manifestação, enfrentando as medidas antidemocráticas de extrema direita: defender os direitos fundamentais dos (as) trabalhadores e trabalhadoras; os serviços e os (as) servidores (as) públicos (as), bem como o financiamento público para Educação, Pesquisa e Saúde Públicas. Para tanto, empenhar-se na construção de uma Frente Nacional Unitária, como espaço de aglutinação para essa luta, contribuindo assim para avançar na organização da classe trabalhadora”.

Que tenhamos um ano de lutas e que nossos direitos como trabalhadores da educação sejam assegurados.

Ensino, pesquisa, extensão, nenhum direito a menos.

Luciane Soares da Silva
Presidente da ADUENF

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email