Previous slide
Next slide

42º CONGRESSO DO ANDES-SN REFORÇA A LUTA DAS ESTADUAIS E PELA REVERSÃO DAS CONTRARREFORMAS

Foram cinco dias de debates e deliberações que atualizaram o plano de lutas para 2024 em nível nacional.  Entre 26 de fevereiro e 1º de março, o 42º Congresso do ANDES-SN reuniu 632 docentes de todo o Brasil na Universidade Federal do Ceará (UFC), em Fortaleza (CE), tendo como tema principal “Reverter as contrarreformas – Em defesa da educação, dos serviços públicos, das liberdades democráticas e dos direitos sociais”.

A ADUENF foi representada por seu presidente, Carlos Veiga, e pela 1ª tesoureira, Caryne Braga. Da UENF, também participaram os professores Isabel Cunha, Victor Flores e Raquel Garcia, representante da Regional Rio de Janeiro do ANDES-SN.

Os participantes do congresso aprovaram a mudança do nome do Setor das Iees/Imes para Setor das Iees/Emes/Ides – Instituições Estaduais de Ensino Superior, Instituições Municipais de Ensino Superior e Instituições Distritais de Ensino Superior. A alteração incorpora a luta de docentes da recém-criada universidade do Distrito Federal (UnDF) e da seção sindical da instituição.

As seções sindicais decidiram continuar estimulando debates e dando divulgação nacional à luta contra a Lei Geral das Universidades e similares, denunciando os inúmeros prejuízos que causam às universidades estaduais – em especial no que se refere à limitação do financiamento, da autonomia das universidades e aos ataques aos direitos da categoria docente.

Com o objetivo de fortalecer e intensificar a luta do setor, foi deliberada a continuidade da pesquisa sobre financiamento das Iees/Imes/Ides. A série histórica, com dados desde 2007, traz informações sobre orçamento e receita executada nas instituições estaduais e municipais de ensino superior, contribuindo para mobilizações e negociações.

Para ampliar as ações de combate às situações de assédio nas universidades, as delegadas e os delegados também votaram pela construção de um protocolo de acolhimento, prevenção e combate aos assédios moral e sexual e de diversas formas de violências, para compor nossas pautas gerais de luta. Aprovaram, ainda, que o ANDES-SN atualize, reedite e dê ampla divulgação às publicações sobre todas as diversas formas de assédio.

Ao final, foi lida a Carta de Fortaleza, que destacou várias lutas. Entre elas, a greve dos docentes da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), a resistência do povo palestino contra o genocídio de Israel e a votação pela construção da greve no Setor das Universidades Federais. Por unanimidade, foi decidido que o 43º Congresso do ANDES-SN será realizado em Vitória (ES).

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Posts Recentes