Previous
Next

15 DE OUTUBRO – DIA DO PROFESSOR

AOS PROFESSORES E PROFESSORAS DA UENF, PELO DIA DO PROFESSOR

“Homens de uma República livre, acabamos de romper a última cadeia que, em pleno século XX, nos atava à antiga dominação monárquica e monástica. Resolvemos chamar todas as coisas pelos nomes que têm. Córdoba se redime. A partir de hoje contamos para o país uma vergonha a menos e uma liberdade a mais. As dores que ficam são as liberdades que faltam. Acreditamos que não erramos, as ressonâncias do coração nos advertem: estamos pisando sobre uma revolução, estamos vivendo uma hora americana”.

Da juventude argentina de Córdoba aos homens livres da América, Manifesto de Córdoba, 21 de junho de 1918.

No ano em que nossa Constituição Cidadã completa 30 anos, também comemoramos os 100 anos da Reforma de Córdoba na Argentina. Ainda vivemos sob impacto de uma das piores crises da história da UENF. E além das dificuldades enfrentadas, nos vemos em meio a tempos sombrios. Demonstrações de ódio e ameaças a estabilidade do servidor público são apenas dois entre muitos elementos que aparecem como um fantasma sobre nossas cabeças. Um fantasma lamentavelmente conhecido.

No epicentro desta eleição está a educação. Presenciamos estupefata a ausência de compreensão crítica dos fatos históricos, a desconstrução do valor da ciência e da importância da Universidade. Os tempos atuais nos levam a lutar novamente por valores que pensávamos já consolidados.

Neste cenário, somos chamados mais uma vez a defender o legado de Darcy Ribeiro e a defender uma Universidade pública, gratuita e socialmente referenciada.

Sabemos que o projeto sobre a mesa dos governadores, do Rio Grande do Sul até a Paraíba, não contempla a vocação de nossas Universidades como vetores de transformação social. E não poderia, em uma conjuntura de desmonte do serviço público em favor de interesses privados.

Mas sabemos também que esta não é a primeira crise enfrentada no Brasil. A configuração da luta de classes em nosso país retarda processos de mudanças sociais mais igualitários e sem pudores, vemos o recurso à violência ser empregado no cotidiano nacional.  E em Campos, o abuso de poder de instituições que deveriam zelar pela Constituição, indica que elementos do estado de exceção, como a perseguição à liberdade de expressão, já estão presentes em nossas Universidades.

Aprendemos a resistir bravamente em nossa UENF. E seguiremos executando o que fazemos melhor. Educar, pesquisar, construir laços com a realidade social.

Neste dia do professor, saudemos esta profissão. E de uma forma ainda mais intensa, ainda mais vibrante e ainda mais fraterna. Porque nos reconhecemos, porque sabemos o que significa a Universidade Estadual do Norte Fluminense para região e para o país. E que ao final, prevaleça em nós o espírito de Córdoba!

 

Luciane Soares da Silva
Presidente ADUENF-SESDUENF
Gestão Resistência & Luta

 

Acessar o manifesto:  Manifesto-de-Córdoba-1918-Português-e-Espanhol-1

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email