Previous
Next

ALERJ DISCUTE DEMANDAS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO NORTE FLUMINENSE (UENF)

A Comissão de Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), realizou nesta terça-feira (26/03), às 10h, no Auditório Senador Nelson Carneiro, no prédio anexo ao Palácio Tiradentes, a terceira audiência pública desta legislatura. Os presentes discutiram os desafios e as perspectivas, bem como as demandas, da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), com a presença do reitor da instituição, Luís Passoni e os representantes da Associação dos Docentes da UENF (ADUENF) , Prof. Marcos Pedlowski ( 2º Vice-Presidente) e Prof. Carlos Eduardo de Rezende (1º Tesoureiro) .

Para o presidente da comissão de Ciência e Tecnologia, Waldeck Carneiro (PT), um dos principais assuntos da audiência é a concessão do repasse orçamentário para as universidades estaduais. “Um dos temas de maior relevância a ser discutido na audiência é a aplicação do repasse orçamentário mensal do Tesouro Estadual em forma de duodécimos às universidades estaduais, garantido através de votação de Emenda Constitucional na ALERJ. Este ano, este repasse é de 50% e, no ano que vem, de 100%”, afirmou Waldeck.

“Não temos os duodécimos sendo aplicados, apesar da Emenda Constitucional vigente. Abrimos uma conta bancária para repasse deste valor, que ainda não foi movimentada. Há urgência nesta execução para nossa gestão universitária”, lamenta o reitor da UENF.  Ressaltando a importância dos investimentos em pessoal, necessários à consolidação da Universidade. Ele apresentou  números referentes ao encolhimento do quadro funcional da UENF e à dificuldade encontrada para que essa reposição de pessoal seja feita. Segundo o reitor, a UENF tem hoje um quadro de servidores que está próximo da metade do quadro necessário previsto na sua criação. “A UENF possui cerca de 300 professores, enquanto o planejamento era de 600. Tem 600 técnicos, enquanto a previsão inicial era de 1200, e, infelizmente, não existe a previsão de aumento no quadro de servidores e nem a reposição dos que estão se aposentando”, disse.

Um outro tema abordado pelo reitor foi sobre a situação do quadro funcional, que se encontra muito abatido, devido a problemas financeiros e pessoais gerados pelo período de crise e a falta de salários. “ Muitos servidores encontram-se necessitando de atendimento psicológico devido aos problemas gerados pelo endividamento financeiro ocasionado pela crise do Estado do Rio”, afirmou Passoni.

O reitor também falou sobre a importância de se criar uma frente parlamentar em defesa das universidades públicas do Estado do Rio e sobre a importância da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) como instrumento fundamental no fomento à pesquisa no Estado do Rio de Janeiro.

A pró reitora de Pesquisa e Pós Graduação disse que o governo deveria apoiar o desenvolvimento da ciência, pesquisa e inovação, proporcionando uma maior capacitação de pessoal como forma de desenvolver o Estado do Rio. “ Nós acreditamos firmemente que a única forma de tirar o estado desta tão falada crise é através do investimento em pesquisa, do desenvolvimento científico e tecnológico e da formação de pessoas capacitadas para enfrentar esses desafios”, afirmou Rosana.

Um dos principais resultados da audiência pública foi o agendamento para o dia 05/04/19 de uma visita da comissão de Ciência e Tecnologia à UENF para conhecer um pouco mais do dia a dia da Universidade.

Fonte: http://www.alerj.rj.gov.br/Visualizar/Noticia/45314 ; http://www.uenf.br/dic/ascom/2019/03/27/informativo-da-uenf-27-03-19/

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email